CATEGORIA: Blog, Notícias
maio 29, 2013

Idiomas mais raros do mundo e com risco de extinção

Que o mundo fala uma infinidade de idiomas, ninguém duvida. O que poucos sabem é que uma língua desaparece da face da Terra a cada duas semanas, em média. A estatística é das Nações Unidas. E mais: cerca de 6 mil idiomas correm risco de serem extintos, pois seus falantes estão morrendo. Com base nesses dados, a Traduzca apresenta uma lista com os 10 idiomas mais raros do planeta.

Chamicuro: De acordo com estudos de 2008, existem apenas oito pessoas que falam o chamicuro, originária do Peru. Seus falantes compilaram em um dicionário os termos do idioma. Alguns exemplos: kawali (cavalo), polyo (frango), pato (pato), katujkana (macaco), ma’nali (cão), Mishi (gato) waka (vaca).

Dlimi: Idioma falado por apenas oito pessoas em uma região ao leste do Nepal, segundo dados de 2007. Ao contrário dos peruanos, não há dicionário. Apenas muitos livros onde estão documentadas a gramática e a sintaxe do Dlimi.

Ongota: Conta com apenas 6 falantes nativos que conhecem e utilizam o idioma. Mesmo sendo de aspecto raro e correndo risco de desaparecer, há estudos acadêmicos sobre o Ongota na Universidade de Adis Abeba, capital da Etiópia, onde a língua é remotamente usada em uma pequena aldeia. Tem por característica utilizar a estrutura de “sujeito + objeto + verbo”.

Liki: Idioma raríssimo encontrado em ilhas perto da Indonésia, como na costa norte de Sarmi, Kabupaten Jaypura e Kecamatan Sarmi, falado por apenas cinco habitantes da região. Não se sabe qual a origem, mas que pode ter começado com uma mistura entre malaio-polinésio centro-oriental, oriental, oceânico e oceânico-ocidental, com influências do norte de Nova Guiné, Sarmi Jayapura-Bay e Sarmi.

Tanema: Já foi falado em lugares como Ilha Vanikolo, província de Temotu e em uma aldeia Emua, nas Ilhas Salomão. Mas atualmente conta com apenas quatro pessoas falando o Tanema, segundo estudo feito em 2008. Alguns exemplos de verbos em Tanema: wekini (para ligar), Laro (para nadar), la vamora (para trabalhar), e la Muñana (para deitar-se).

Njerep: Era utilizada na região de Bantoid, na Nigéria. Hoje, foi suplantada por múltiplos dialetos Mambila, como Ba e Mvop. Só existem quatro falantes de Njerep, conforme dados obtidos em 2007. Todos os quatro já são idosos e o idioma já está prestes a ser oficialmente extinto.

Chemehuevi: Uma língua dos nativos de onde hoje se encontram os Estados Unidos. Era falada no sul, centro-oeste e na costa ocidental norte-americana. Ainda existiriam três pessoas fluentes em Chemehuevi. Alguns exemplos de substantivos são: kai (montanha), hucip (oceano), mahav (árvore), e tittvip (terra / solo).

Lemerig: Originário de Vanuatu, ilha do sul do Oceano Pacífico, mais precisamente na ilha Vanua Lava. Lemerig é falado apenas por duas pessoas fluentes. A língua se desmembrava em até quatro dialetos, atualmente extintos.

Kaixana: Já foi falada em um vilarejo ribeirinho no Brasil, nas margens do Rio Japurá, no Amazonas. Ao longo da colonização portuguesa, o idioma dos nativos da região reduziu de cerca de 200 para apenas um falante de kaixana. A extinção desse idioma é iminente.

Taushiro
Nativo do Peru, falado na região dos rios Tigre e Aucayacu. Uma curiosidade sobre o Taushiro é que as pessoas normalmente só contavam até 10, sempre usando os dedos. Para explicar um número acima de 10, usavam a expressão “ashintu”, apontando para os dedos do pé. Estudo de 2008 indica que ainda existe uma pessoa fluente em Taushiro.

Veja mais sobre idiomas no site da Unesco: http://www.unesco.org/culture/

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppSkypeTelegramCompartilhar

Comments

See other new stories