Conheça o Etias, o “minivisto” necessário para entrar na Europa a partir de 2022

Viajar para a Europa ficará um pouco mais caro e burocrático nos próximos anos. Mesmo com muitas restrições para viagens internacionais, quem deseja conhecer o Velho Continente terá que se cadastrar no Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem (o Etias, na sigla em inglês), registro que tem como objetivo controlar o ingresso de cidadãos de países que não necessitam de visto para entrada nos países da União Europeia, como os brasileiros.

Viajar para a Europa ficará um pouco mais caro e burocrático nos próximos anos. Mesmo com muitas restrições para viagens internacionais, quem deseja conhecer o Velho Continente terá que se cadastrar no Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem (o Etias, na sigla em inglês), registro que tem como objetivo controlar o ingresso de cidadãos de países que não necessitam de visto para entrada nos países da União Europeia, como os brasileiros.

Com a pandemia do novo coronavírus, a exigência do Etias foi adiada para o fim de 2022. O sistema será adotado por 26 dos 28 países-membros da União Europeia, além de quatro países que não fazem parte do bloco e três que não fazem parte do Espaço Schengen, acordo europeu de abertura e livre circulação de pessoas. O documento funcionará como um “minivisto”, fornecendo informações preenchidas pelo turista, como dados pessoais, informações do passaporte e histórico de viagens anteriores. Além dos dados, os interessados em ingressar nos países da União Europeia precisarão pagar uma taxa de 7,00 € no prazo de 96 horas antes do embarque, independentemente da autorização ser concedida ou não.

Países que solicitarão o Etias

Os países que solicitarão o Etias para os turistas são Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Holanda, Itália, Islândia, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Mônaco, Noruega, Polônia, Portugal, República Checa, San Marino, Suécia, Suíça e Vaticano.

O Etias não altera o trânsito livre entre os países da União Europeia e as informações cadastradas no sistema serão analisadas junto a bancos de dados da União Europeia e de órgãos internacionais, como a Interpol, para determinar se há razões para o não ingresso do visitante em um país. Se tudo estiver correto, é concedido um visto de entrada válido por até 90 dias para a livre circulação pelos estados-membros do Espaço Schengen.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *